Carrinho

Quatro jornalistas negras conversam sobre educação midiática no Festival Fala! no Recife

12/dez/2023  |  Sargento Perifa

A pauta não foi ancestralidade, nem apenas comunicação antirracista ou histórias sobre aquilombamento. É claro que a gente, mais do que ninguém, precisa falar sobre isso também, fazendo jus ao discurso do nosso querido Emicida que afirma com todas as suas forças e certezas que tudo o que o povo preto tem por ele é o povo preto por ele, mas, foi bom mais uma vez quebrar a ideia do racismo epistêmico, aquele que diz que negras e negros não possuem capacidade intelectual.

As jornalistas Ana Veloso, que também é professora da UFPE; Ariel Bentes, co-fundadora da Abaré Escola de Jornalismo; e Catarina de Angola, fundadora da Angola Comunicação, deram um show de educação midiática em uma conversa mediada por mim, Martihene Oliveira, sobre pluralidade de vozes, regularização das plataformas, caminhos para combate à desinformação e discurso de ódio. 

O Fala! aconteceu nos dias 21,22 e 23 de setembro e contou com a presença de jornalistas e veículos independentes de todo o país reunidos no Cais do Sertão, nas áreas externas e internas do espaço com oficinas, rodas de conversa e muita música popular pernambucana para mostrar que Recife não faz comunicação por brincadeira.

O poeta Miró da Muribeca foi o homenageado do evento, a noite de abertura, mediada pelo jornalista Pedro Lins, foi um verdadeiro deleite de poesias e histórias de Miró contadas por amigos e admiradores. Diversos coletivos do Mapa da Midia Independente e Popular de Pernambuco também estiveram presentes, seja como protagonistas ou abrilhantando as plateias. 

O Instituo Fala! é movimentado pelos veículos de jornalismo independente Marco Zero Conteúdo, Alma Preta Jornalismo, Ponte Jornalismo e 1 Papo Reto. Aqui no Recife, a jornalista Lenne Ferreira, que também é produtora cultural, juntou-se a Thais Fôlego e deram conta de entregar uma produção impecável, reealizada majoritariamente por profissionais negros que atuaram além da proporção em todos os espaços do evento. Foi demais!

Escrito por:

Sargento Perifa

sargento.perifa@gmail.com

Os sargentinos, como gostam de ser chamados, são pessoas que possuem laços fortes de identidade entre si. Orgulhosos do lugar onde moram, sempre estão criando iniciativas para a melhoria de todos.