Carrinho

Perifa conquista 2° lugar no país no 12° Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli

12/dez/2023  |  Sargento Perifa

A premiação aconteceu na noite desta segunda-feira (06), no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. O Sargento Perifa recebeu o prêmio de R$12 mil reais. 

Reconhecimento de um trabalho feito pelas mãos de uma comunidade inteira. O Coletivo Sargento Perifa ficou em segundo lugar no 12°Prêmio da AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos, na categoria ‘Práticas Humanísticas’, levando para casa o prêmio de R$12 mil reais. A solenidade aconteceu na noite desta segunda-feira (06), no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJER), no Rio de Janeiro. Martihene Oliveira, jornalista e idealizadora do veículo independente recebeu a premiação.

“É uma emoção muito grande poder ver que o ‘Perifa’ tem alçado vôos tão altos como esse. É mais um reconhecimento que nos dá ânimo para continuar e fazer mais. Esse prêmio é de uma comunidade inteira que trabalha por quebrar estereótipos marginalizados da favela, criando iniciativas que beneficiem os moradores do local”, afirma Martihene.

Entre as mais de 2 mil inscrições na categoria, o Sargento Perifa foi selecionado entre os 5 finalistas que puderam participar da premiação no órgão do Poder Judiciário, no Rio de Janeiro. E o que já era uma grande privilégio e menção honrosa, tornou-se ainda mais especial com a conquista do segundo lugar.

O prêmio é uma iniciativa da Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro, onde homenageia a juíza Patrícia Acioli, executada com 21 tiros no dia 11 de agosto de 2011, em Niterói (RJ), por ser uma grande defensora dos direitos humanos. A cerimônia reuniu desembargadores, juízes, parlamentares, membros do Ministério Público e da Defensoria, advogados, jornalistas, professores, líderes de movimentos sociais, estudantes e familiares da juíza Patrícia Acioli.

Finalistas:

Práticas Humanísticas

1º – “Maré de Direitos”
Autores: Eliana Sousa e equipe

O projeto Maré de Direitos contribui com a promoção do acesso à Justiça dos mais de 140 mil moradores do conjunto de favelas da Maré, localizado na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro, a partir de ações de acolhimento, atendimento, acompanhamento e encaminhamentos psico-sócio-jurídicos.

2º – “Coletivo de Mídia Independente e Popular Sargento Perifa”
Autora: Martihene Keila de Oliveira

Veículo de mídia independente que reúne 19 projetos formados por moradores da comunidade do Córrego do Sargento, bairro de Linha do Tiro, Zona Norte do Recife (PE). Atua promovendo a educação midiática por meio do letramento racial e do combate às desigualdades de gênero, raça e classe.

3º – “Grupo Conexão G de cidadania LGBT de favelas: Projetos e Assistências Sociais”
Autora: Gilmara Santos Cunha

O Grupo Conexão G, é uma instituição sem fins lucrativos, localizado no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro. Foi idealizado em 2006 para debater a pauta LGBTI+ nos territórios de favela.

Menção Honrosa – “Aplicativo PenhaS: conectar fortalece”
Autores: Thayná Caroline Santos Silveira e equipe

PenhaS é um aplicativo de enfrentamento à violência doméstica que oferece informação, acolhimento e atendimento personalizado a mulheres de todo o Brasil. O app criou uma rede orgânica de mais de 12 mil usuárias, entre vítimas e voluntárias como delegadas, advogadas, psicólogas, assistentes sociais.

Menção Honrosa – “Programa de Capacitação do Centro Brasileiro de Estudos em Direito e Religião (CEDIRE)”
Autor: Rodrigo Vitorino Souza Alves

O Programa de Capacitação do CEDIRE é uma iniciativa que busca contribuir para a promoção da dignidade humana e da cidadania por meio de ações educativas relacionadas à liberdade, igualdade, não discriminação em matéria de exercício de religiões e crenças.

 

Escrito por:

Sargento Perifa

sargento.perifa@gmail.com

Os sargentinos, como gostam de ser chamados, são pessoas que possuem laços fortes de identidade entre si. Orgulhosos do lugar onde moram, sempre estão criando iniciativas para a melhoria de todos.